terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ideias mágicas... Deixem a vossa imaginaçao fluir ao som da saga! (concurso)

-
bem...

penço ke todos nos tems uma certa "keda" para a escrita,
apesar de nao ser o meu forte, até eu tenho os meus dias de escrita.

por este motivo tive a ideia de fazer um pequeno "concurso" de parts do livro escritas por nós, ou seja cada fan poderá inventar uma parte que gostaria que tivesse acontecido na historia, ou que gostará que aconteça!!

as melhors serao publicadas no blog, havendo votaçoes para tal!!



para isso basta:

- comentar esta postagem com a vossa parte da saga inventada,

- colocar o nome do livro a que pertenceria, caso seja num proximo, poderao inventar o titulo! :D

- nunca esquecendo de por o vosso nome e titulo do excerto inventado!



quando forem suficientes farei uma votaçao durante 3 meses para apurar os 3 melhors, e estes seram postados pela ordem 1º»3º em postagens separadas para que seja "comentado" cada "trabalho" individualmente!

e claro todos os outros poderam comentar o vosso trabalho e até mesmo a escritora poderá passar aqui!!

tbm eu vou fazer a minha part kuando tiver tempo, e para ser justo comentarei nesta postagem, ao nivel de todos os outros fans!!


bjokas, boas leituras e participem!!
sandra c. forever!

3 comentários:

Anônimo disse...

Da Mónica

Boa ideia!

Ha limite de numero de palavras?

Vou ver se me ocorre uma boa cena! :)

Mónica disse...

O comentario anterior foi meu. Tenho de me habituar a fazer login :D

Anônimo disse...

Lúcia

Estava escuro, a lua cheia brilhava mais do que nunca, carregando segredos. Os uivos dos lobos ouviam-se distantes, como se fossem apelos a alguém. O vento passava pela copas das árvores até chegar a mim como uma lve brisa. Tentei abrir os olhos, mas estes estavam cansados. Não me lembrava de nada do que tinha acontecido desde o ataque do príncipe August. Foi então que uma enorme dor me invadiu o corpo, tentei levantar-me e quando olhei para o chão só vi sangue, depressa descobri a origem do sangue. Tinha um golpe enorme no braço, provavelmente feito pelo temível príncipe. Tentei reorganizar as ideia, mas nada me poderia preparar para o que veria a seguir... Edwin estava deitado numa pedra com a espada ainda na mão, jazia imóvel ali. Tentei andar até ele, com uma dor inesplicável a atingir-me o coração, mas não consegui e a minha vida, num instante passou-me toda à frente até que comecei a ver aquela luz que me chamava.

A Saga das Pedras Mágicas