quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Para o nosso Rei da Lua, o Guardião da Lágrima da Lua


"A sua mão trémula tocou-me numa madeixa do meu cabelo. Não me afastei e os seus dedos deslizaram pela face, uma carícia quase desesperada. Mais parecia que sentia a necessidade de se certificar que a mulher diante de si era real!
E antes que eu pudesse extrair um significado para aquela loucura, Edwin puxou-me contra o peito e beijou-me, como se deseja-se mergulhar dentro de mim e tocar o meu coração. Correspondi com arroubo. De certa forma era bom que a nossa magia estivesse esgotada, pois se o poder que nos tornava Rainha do Sol e Rei da Lua se manifestasse seria devastador.
- Meu amor... - murmurou, enquanto recuperava o fôlego.
- Minha vida...

Escondi a cabeça no seu pescoço e abracei-o. Não me podia consentir um pensamento. Se o fizesse teria de me afastar... E não queria afastar.me! Queria inspirar o perfume dos seus cabelos, assimilar o calor do seu corpo, imaginar que, de alguma forma, o nosso amor era abençoado...
Que nenhum acontecimento infausto tornaria a erguer as barreiras entre nós.

Estava tão elevada, tão perdida em sensações que me sobressaltei ao verificar que Edwin chorava. Afastei-me para encará-lo julgando que a realidade se abatera sobre a sua consciência. Porém quando lhe fixei o olhar, constatei que a causa da sua perturbação não era o estranho incidente, que à pouco nos subjugara.
O motivo de tamanha comoção era um cristal de forma redonda e brilho negro translúcido, que repousava ao nosso lado, em cima da pedra, como se ali tivesse sido cuidadosamente pousado por uma mão divina.

A Lágrima da Lua regressara ao seu Guardião!"
(Excerto retirado a partir da página 55 do 5º Volume da Saga das Pedras Mágicas: Os Três Reinos de Sandra Carvalho)
Postar um comentário

A Saga das Pedras Mágicas